topo
Jornal Eletrônico da ILPF   |
   Ano 10 - Edição 65 - Julho de 2019
   Ano 10 - Edição 64 - Junho de 2019 
   Ano 10 - Edição 63 - Maio de 2019 
   Ano 10 - Edição 62 - Abril de 2019 
   Ano 10 - Edição 61 - Março de 2019 
   Ano 10 - Edição 60 - Fevereiro de 2019 
   Ano 10 - Edição 59 - Janeiro de 2019 
   Ano 09 - Edição 58 - Dezembro de 2018 
   Ano 09 - Edição 57 - Novembro de 2018 
   Ano 09 - Edição 56 - Outubro de 2018 
   Ano 09 - Edição 55 - Setembro de 2018 
   Ano 09 - Edição 54 - Agosto de 2018 
   Ano 09 - Edição 53 - Julho de 2018 
 
 
seta
imagem
Pesquisa propõe meta para o Nordeste de 20% de área com ILPF até 2030

A Rede ILPF propôs a meta de desenvolver, em parceria com os agricultores do Nordeste, sistemas integrados de produção em 20% da área de agricultura. Este é o desafio lançado pela Embrapa e Associação Rede ILPF durante o Seminário Nordeste - Inovações na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, realizado  em Fortaleza. O seminário fez parte da programação do XXIII PecNordeste realizado de 13 a 15 de junho, com mesas redondas, workshop e visitas técnicas. 

O objetivo do seminário foi o de discutir inovações desenvolvidas pela Embrapa e parceiros para os sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) no Nordeste. A tecnologia é uma estratégia de produção que reúne diferentes sistemas agrícolas, pecuários e florestais numa mesma área. Pode ser feita em cultivo consorciado, em sucessão ou em rotação, de forma que haja benefício mútuo para todas as atividades. 

O pesquisador da Embrapa Renato Rodrigues, que também é coordenador da Associação Rede ILPF, acredita que o seminário seja o primeiro passo para  a implementação de um plano de trabalho para a região. O objetivo é aumentar a renda do produtor e criar estratégias para a convivência com as adversidades climáticas. "É uma gigantesca oportunidade de usar ILPF como uma ferramenta de desenvolvimento regional", afirmou.

O chefe de gabinete da presidência da Embrapa, o pesquisador Raimundo Braga, salienta que a área implantada com o sistema no Nordeste ainda é muito pequena. O evento, segundo ele, foi uma oportunidade para começar o processo de ampliação da adoção da tecnologia na região.

"Queremos trazer mais informações tecnológicas, com base na ciência, em resultados da pesquisa que já foram feitos pela Embrapa e por outras instituições nacionais e dar um salto qualitativo e quantitativo desse sistema no Nordeste". 

Para Raimundo Braga a principal estratégia para ampliar a adoção da tecnologia é a instalação de uma rede de unidades demonstrativas, que provem e convençam o produtor sobre a importância do sistema por meio da demonstração dos resultados de pesquisa desenvolvidos pela Embrapa e parceiros ao longo dos anos. 

Mais produção e lucro 

Durante todo o dia, especialistas demonstraram resultados de iniciativas de pesquisas com ILPF no Nordeste. Foram discutidas também questões como crédito e assistência técnica. Um exemplo dos bons resultados de ganhos econômicos e ambientais foi apresentado pelo pesquisador Henrique Rangel, da Embrapa Tabuleiros Costeiros. Os produtores do Agreste Sergipano estão aderindo à integração entre bovino, gliricídia e braquiária após a comprovação dos benefícios para a produção.

Conforme o pesquisador, além do ganho em produtividade de carne - cerca de 4 arrobas a mais por hectare ao ano - os produtores deixaram de gastar com adubo nitrogenado, o que representa uma economia de cerca de R$ 1 mil por hectare ao ano. 

"Isso só o ganho animal, fora o ganho que existe de matéria orgânica no solo, de nitrogênio no solo, de conforto animal e até do aumento da fauna", diz o pesquisador.  

O evento contou ainda com um workshop com o objetivo de discutir a ampliação da implementação do sistema na região e visita técnica à fazenda Grangeiro, em Paracuru (CE), a 86 km de Fortaleza. As atividades foram coordenados pelo  pesquisador João Pratagil.

O evento foi promovido pela Embrapa e Associação Rede ILPF (Rede ILPF), em parceria com a Federação da Agropecuária do Estado do Ceará (Faec) e o XXIII PecNordeste.

A Associação Rede ILPF é uma parceria público-privada formada por Embrapa, Cocamar, Bradesco, John Deere, Ceptis, Premix, Soesp e Syngenta. O objetivo da entidade é acelerar adoção das tecnologias de ILPF no País.

Verônica Freire (MTb 01125/JP) 
Embrapa Agroindústria Tropical 
 
Telefone: (85)33917116

  Comentários  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  Espaço do leitor
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico do Projeto TT ILPF. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: agrossilvipastoril.nco@embrapa.br ou
por telefone: (66) 3211-4227

  Cadastro
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Confira mais informações sobre a ILPF em www.ilpf.com.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para agrossilvipastoril.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  Expediente
 

Esta é uma publicação do Projeto Comunicação estratégica e divulgação para a ILPF e para a Associação Rede ILPF

Editor: José Heitor Vasconcellos

Jornalista responsável: Gabriel Faria (mtb 15.624/MG JP)

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Colaboradores: Jornalistas das Unidades da Embrapa que participam do Projeto e de entidades parceiras

Fotos: Arquivo Embrapa

logo da Embrapa